sexta-feira, 17 de abril de 2009

CAVALO-MARINHO __ GANHARÁ A CORRIDA?

.
.
(NET)
.
Chegados à Praia de Maracaípe, segue-se a pé até ao Pontal de Maracaípe onde o rio encontra o mar.
.
O calor aperta mas, ali, onde a aragem branda do mar se faz sentir, tem-se uma agradável sensação de frescura. O ar é pesado, mas, a vista larga, é belíssima. O silêncio do ar denso, é quebrado pela voz longínqua e abafada dos jangadeiros e alguns bugueiros, que discutem os resultados do jogo de bola do dia anterior.
.
Uma corrida pela areia quente, e, está-se à borda de água...



O nosso objectivo? Embarcar numa das várias jangadas que, suavemente, se vão deslocando, impulsionadas pela vara do jangadeiro, que a vai enfiando no fundo raso do rio, empurrando-a, assim, em direcção ao mangal que fica, um pouco acima, no rio.



A sensação de paz, de tranquilidade, é absoluta. Agora, só se ouve o mergulhar da vara na água. Tudo o resto é silêncio. Um silêncio pesado e extremamente agradável, acompanhado de uma paisagem paradisíaca.



Vamos avançando em direcção ao mangal. Estamos todos calados, ou falamos em surdina, enquanto o jangadeiro, procura vislumbrar algum cavalo-marinho dentro daquela água escura.
.
A certa altura, pega nos óculos de mergulho, sai da jangada, e espreita, através deles, para dentro de água. Encontrou o que procurávamos __ um cavalo-marinho. Mantem-no, com cuidado, sobre as mãos abertas. Todos espreitámos. Foi devolvido, cuidadosamente, ao local em que estava. Possivelmente, ir-se-ia esconder entre as raizes do mangue com as quais se confunde.
.

Seguimos mais para dentro do rio. Voltámos a parar. Novo cavalo-marinho...
.



Desta vez, foi metido num frasco transparente. Pudemos ver o movimento rápido e delicado da sua barbatana dorsal. Tão fina, que parecia quase transparente. O animal procurava equilibrar-se naquele espaço tão limitado.
.
De novo, voltámos a devolvê-lo à água.
. .

Este local era suposto ser uma reserva no mangue de cavalos-marinhos (o Projecto Hippocampus). No entanto, tal como nós o fizemos, uma infinidade de gente ali se desloca, para ver os cavalos-marinhos.

A pergunta é __ Até quando haverá cavalos-marinhos, se continuarem sujeitos a esta pressão?

O objectivo desta reserva é preservar o cavalo-marinho, dando a conhecer, aos visitantes, um pouco mais sobre estes animais no seu próprio habitat. Mas, se o Projecto Hippocampus for só isto, então, o cavalo-marinho, corre sério risco de perder a corrida.
.
.

1 comentário:

Anónimo disse...

NÃO É TÃO BONITO QUANTO O
ANTERIOR,MAS VÊ-SE COM MUITO
AGRADO E ALGUMA INVEJITA...NÃO FOSSE A LEMBRANÇA DO CALOR TÓRRIDO
QUE NA ALTURA LÁ ESTARIA.
FICO AGUARDANDO POR MAIS.
BEIJINHOS. M.M.