sexta-feira, 24 de outubro de 2008

"SONHO DE UM FARMACÊUTICO" - A LEITURA DE UM QUADRO





"SONHO DE UM FARMACÊUTICO"


“ Debruçado sobre um balcão, atende-se um público dourando a pílula. Em que, se faz a filtragem dos conhecimentos, transformando saberes mais antigos em novos conhecimentos vestidos com uma roupagem mais recente, transparente e à luz das novas descobertas... “




DECIFRANDO OS SÍMBOLOS:

­­__”As esferinhas” - O transpor das energias que se esperam positivas: a “pílula” azul realista e clara com a água é, por vezes, transformada na “pílula” colorida não tão clara mas, por vezes, necessária e a solução de muitos males.

__ "O fúnil" – A necessidade de saber filtrar sentimentos, receios e conhecimentos para ser de maior ajuda.


__ "O pote muito velho" – “Velho” como o conhecimento das mezinhas que vêm, já, dos primórdios dos tempos.

__ "O frasco transparente" - embora “vestido” da poeira do passado, é a aplicação das novas descobertas e conhecimentos que operam verdadeiros milagres.


A ETERNIDADE DE UM SONHO __ O POTE


O SONHO QUE SE MANTEM SEMPRE NOVO E CRISTALINO __ O FRASCO


O FILTRAR DAQUILO QUE REALMENTE IMPORTA __ O FUNIL


O BALCÃO __ A TÁBUA


HOLANDA / HAIA - "A RAPARIGA DA PÉROLA", de VERMEER







“A RAPARIGA DA PÉROLA”


1665, Johannes Vermeer, pintor holandês, considerado, por muitos, como um dos precursores do Impressionismo, pinta este quadro tão enigmático, quanto ele próprio.

Tanto de um como do outro pouco se sabe.


Este retrato é também conhecido por “Rapariga do Turbante”. É tão universalmente admirado, que há quem lhe chame “ a Gioconda do Norte”...


Holanda, Haia, Museu Mauritshuis. Foi paixão à primeira vista. Ficou gravada na retina e na memória. __ os lábios sedutores; o olhar tranquilo; o seu turbante e a pérola com o seu toque de brilho...



quarta-feira, 22 de outubro de 2008

"A RAPARIGA DO BRINCO DE PÉROLA" DE VERMEER E "A MINHA MENINA"






(A: Malay - "A minha Menina")
(Quadro pintado em 2006)


" A MINHA MENINA"
...anos passados, começo a aprender a pintar com a minha mestra.


Este foi o meu primeiro quadro feito a “sério”. Sempre com o apoio de umas mãos mágicas, aprendi técnicas que desconhecia inteiramente: a reprodução de uma imagem com o processo de quadrícula; a “imprimatura” ; o esbater; os toques de tinta para os brilhos; a espátula... Um mundo novo e tão esperado.




“A Minha Menina” não tem os lábios tão sedutores, nem os olhos tão luminosos, como os da “Gioconda do Norte”. Não tem o contraste luz e sombra tão intenso; e não tem muitas, muitas e muitas outras coisas.


Mas, tem um olhar “vigilante”. É o único quadro que faço questão de só deixar no dia em que “partir”.

Ela segue-nos com o olhar que nos acompanha pela sala. Costumo dizer que: __” Ela, recebe quem chega e acompanha quem fica...”

Pode ser que vos possa acompanhar também.

 



Esta imagem é do filme que, por coincidência, entrou em cartaz precisamente na altura em que terminei este meu trabalho. O filme, "A Rapariga do Brinco de Pérola" cuja fotografia foi da responsabilidade do português Eduardo Serra, foi proposto e/ou ganhou diversos prémios para diversas categorias.

No que respeita à fotografia,  foi proposto nos Estados Unidos, para o Óscar de 2004, na categotia da Melhor Fotografia ; ganhou o Festival Internacional de San Sebastian (Espanha) em 2003; e no Satellite Awards (USA - 2004) foi também indicado nesta área.




Foi dos poucos filmes que vi várias vezes. E, de todas elas, com um olhar diferente. Da primeira vez, estive sobretudo atenta ao enredo da história desenrolada numa atmosfera profundamente sensual. As trocas de olhares; o quase toque das mãos; os lábios carnudos que a moça tentava humedecer, com a língua e os próprios lábios, para que o pintor apanhasse o brilho certo...

Das vezes seguintes, olhei-o como uma sucessiva sequência de quadros qual deles o mais belo. A luz e sombras, as cores pastel e sépia, as cores que as núvens podem ter __ sim, porque não são brancas... Tudo isso podemos encontrar nesta pérola do cinema europeu produzida pelo Reino Unido e o Luxemburgo.



domingo, 19 de outubro de 2008

"RAIO X DE UM SONHO" - LEITURA DE UMA PINTURA




(Quadro em execução - imagem transformada no "Picasa")



Quando os sonhos deixam de ser sonho e vão tomando forma, vemos que, afinal, estamos acordados, e que os podemos ir realizando com empenho, esforço e tenacidade... Tu tens sido capaz, quero seguir-te o exemplo...



ESPERANÇA NUM NOVO RECOMEÇO - MENSAGEM PARA UMA AMIGA - LEITURA DE UM QUADRO







ESPERANÇA - QUANDO AS ÁRVORES MORREM DE PÉ E O SENTIMENTO RENASCE...

Quando caímos, temos que nos levantar, pois as árvores morrem de pé.

Temos que avançar em direcção a um futuro que possamos construir mais verde e luminoso, já que verde é um novo renascer e a esperança de viver.

É assim que, as nuvens do desgosto e da desilusão devem ficar para trás das montanhas do esquecimento que do escuro começam a ganhar luz.Temos, pois, que continuar a ser guardiões dos nossos rebentos que navegam uma vida, que se vai descortinando, com os seus altos e baixos, tal como os tons azuis da cor do mar.

Eles vão-se transformando de rebento numa pequena árvore. Copa em forma de gota, como as gotas do orvalho, da chuva, do tempo ou das lágrimas, pelas alegrias e tristezas, que vamos acompanhando sempre atentos e erectos como os choupos que sussurram silêncios ao nosso ouvido.

Temos que os acompanhar, determinados.

Por vezes, o coração amarfanhado e revoltado.

Mas, temos que seguir, sempre... sempre em frente, na senda das nossas pequenas plantas que vão crescendo, e, por isso, fazendo com que cada vez mais estejamos na sua sombra.

Sombra, nós também, sempre presentes, vendo aqueles pequenos rebentos transformarem-se em árvores que queremos firmes mas flexíveis e que, se “morrerem”, que morram, sempre, de pé..."


(Quadro pintado em 2008 - para uma nova fase na vida de uma amiga)



"FILIPA", O NOME DE UMA AVENTUREIRA - LEITURA DE UM QUADRO








A escrita, a música, a representação fazem parte das tuas inúmeras facetas.

Quebra todas as convenções, ultrapassa o politicamente correcto, mas responde à voz da tua consciência e à chamada das tuas qualidades.

Sê tu, e sempre tu, Filipa __ destemida e mochila às costas corres o Mundo  __ Europa, Índia são tuas, América vem de seguida. Expões o teu sorriso a quem passa. Viajas na NET e, ao mesmo tempo pisas o solo no terreno, sobes montanhas, desces a vales, ultrapassas oceanos, encontras o que poucos vêm, abraças leões-marinhos, ursinhos bébés. Não descuras o trabalho. Ser carente e abundante de dar, partilhar a vida e as experiências de conquista do espaço que te rodeia, dos lugares que procuras, dos amigos que fazes e que, como tu, procuram na vida a concretização das aventuras que sonharam e com esforço conquistaram.

Charmosa, talentosa e afectuosa, serão os teus maiores atributos.



(Quadro pintado em 2008 - representa tudo o que é Filipa)



UM NOVO DESAFIO...



                                      

HOJE

Hoje, para mim, começa um novo desafio.

Um desafio à IMAGINAÇÃO, à criatividade, à capacidade de entrar em contacto com outros e de fazer a leitura de tudo aquilo que nos rodeia e sensibiliza...

É mais um sonho que, uma das maravilhas deste novo mundo virtual, nos permite realizar.

A partilha nesta viagem pode complementar o nosso dia-a-dia.

O meu combóio já está em MARCHA... Bem vindos companheiros!




(Imagens retiradas da NET)



sábado, 18 de outubro de 2008

OBRIGADA





   


Viajar só, por vezes, é bom. Mas, com companhia, ainda melhor...

Nesta minha viagem de "atrevimento" e desafio às minhas capacidades, tenho tido bons companheiros, amigos e camaradas. Críticos "implacáveis" que adoro pela sinceridade das suas apreciações.


Mas, neste momento de início de uma nova etapa, gostava de referir, em particular, três pessoas __ a minha mãe, o meu irmão e a minha mestra, aos quais tanto devo, no que respeita a estes meus "desvarios"... Estas pequenas loucuras que não são mais do que a concretização de alguns dos nossos sonhos.
É bom, quando de olhos abertos, os vemos aparecer, tomar forma, corpo e cor, ainda que vão desfilando devagarinho...


 

(Imagens retiradas da NET)