quinta-feira, 30 de julho de 2009

COVOS EM CASCAIS

.
.
Estas pequenas armadilhas nas artes da captura do polvo,
podem tornar-se numas pequenas obras de "escultura".
.
.
















.
.
.
.

PORTUGAL - DEAMBULANDO POR CASCAIS - UM DOS SEUS PARQUES

.
.
.
UMA TARDE DE SOL NUM PARQUE DE CASCAIS...












.
Meu filho nasceste,
muita alegria me deste!
Meu raio de Sol,
minha luz do luar,
minha força....
minha estrela da manhã...
.

.
.

.
Apetece-me!
Hoje, sento-me num banco do jardim.
Aqui, espero a tua chegada.
Hás-de vir um dia, eu sei.
Rodeiam-me os passos do sossego.
Entretanto, se chegares e não me vires,
Pergunta por aí onde me encontro.
Não creio que o banco de jardim te responda,
Pois, nele, não mais me sentarei.
.

(Adaptado da NET)
.
.
.




.
.
.

terça-feira, 28 de julho de 2009

PINTANDO - CANECA COM ESPIGAS DE TRIGO E ATILHO...

.
.
.







.
.
A mais requintada sensação solitária talvez seja a de adormecer sobre a relva ou em cima de feno, protegido do sol quente por uma árvore, com a consciência de uma brisa ligeira e refrescante a soprar na atmosfera e do céu a espreguiçar-se todo, lá do alto.
.

Leigh Hunt (1784-1859)
.
.


segunda-feira, 27 de julho de 2009

MEDALHA DE OURO, PRATA, BRONZE...

.
.
.

.
.
A quem corresponde às suas capacidades, a quem ultrapassa os dotes que tem, a quem dá o seu melhor... a quem procura igualar-se ao seu melhor... uma medalha de ouro, de prata, de bronze... Tem sido, assim, ao longo dos tempos. Uma forma de premiar, de reconhecer, de sentir quem se esforçou.
.
Mas, há as medalhas que são doces. Doces como o chocolate. Doces, porque, dentro, são chocolate... Quantas moedinhas dessas pude dar... Quantas moedinhas dessas abriram sorrisos em rostos ansiosos... Quantas moedinhas dessas me deixaram deliciada e, ao mesmo tempo, me fizeram sentir premiada pelo trabalho conjunto... Sim, eram os meus alunos.
.
Hoje, restavam-me meia dúzia dessas moedinhas.. Hoje, já não tenho alunos. Hoje, tenho colegas. Colegas que valem pelo que são... Valem moedinhas de ouro, de prata, de bronze. Moedinhas doces como o chocolate porque, dentro, são chocolate. Temos uma mestra que vale de todos nós todo o chocolate, o ouro, a prata e o bronze... E foi isso que fizemos!
.
Inscrevemos os nossos nomes e fizemos uma enorme "moeda de ouro" para quem vai sempre mais além, para quem se ultrapassa... para quem se iguala sempre ao seu melhor, dando a cada um de nós o que melhor sabe fazer, o melhor que pode dar.
.
Assim, para quem nos guia no prazer imenso de pegar no pincel, A NOSSA MEDALHA!...
.
.

JANELAS

.
.
.
Se um dia uma janela cega encontrares. Então, essa janela sou eu.
Cega para a história que escondo.
Cega para os transeuntes a que ignoro sentimentos.
Cega aos olhares e a futuro incerto.
.
.





Se um dia uma janela amarela encontrares. Então, essa janela sou eu.
Amarela cor do Sol, da luz, do girassol.
Amarela cor da alegria, da liberdade, companhia e amizade...
Amarela, prima da janela verde cor da esperança.
.




Se um dia esta janela encontrares. Então, essa janela sou eu.
Janela cautelosa e resguardada de cobiça inconfessável.
Janela rodeada pelo perfume de minhas rosas
Janela detentora dos segredos, alegrias e tristezas dos meus.
.

.
.
.(NET)

domingo, 26 de julho de 2009

PAZ

.




A PAZ NÃO É ALGO
QUE SE ANSEIA,
É ALGO QUE SE CONSTRÓI,
ALGO QUE SE FAZ,
ALGO QUE SE É
E ALGO QUE SE DÁ
.
.
(Robert Fulghum)


Pintura

.
A partilha de alegrias, energias e motivações,

pode ser uma forma de conseguir essa paz...
.
.
.

A luz da paz e da esperança é que tem que ser mantida.


Pois todos temos as nossas barreiras e necessidade de as vencer...

.
.
.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

PORTUGAL / S. DOMINGOS DE RANA, LISBOA - UMA CASA PORTUGUESA

.
Tudo vale desde o acolhimento até ao desportivismo...



Os vizinhos moram ao lado...

Inquilinos alados
.
.
.
.
Sporting, Benfica... Qu' importa?!...
.
Ganhar ou perder é jogo a valer!
.
.
.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

PORTUGAL / S. DOMINGOS DE RANA - CARROS DAS NOSSAS RUAS

.
.
.

Rodas quadradas, só mesmo num ambiente pré-histórico...



.

PORTUGAL - PELOS CAMINHOS DA NOSSA TERRA - CASCAIS...

.
.
ENCONTRO DE GERAÇÕES
.
Bébés e velhotes ... Torna tudo mais fácil.
Diminui as dificuldades pela metade...
.
.
.

O PULO
.
Quando as encontramos no caminho, passamos mais seguros.
Quando não as temos, que remédio se não dar um “salto”.
.
É como na vida!...
.
.
.


AVISO

Para quem?

Para o dono ou para o cão?

E os que vão sozinhos?!...

.
(Brincando... Até porque há muitos distraídos)
.
.
.

terça-feira, 21 de julho de 2009

segunda-feira, 20 de julho de 2009

20 de JULHO... O HOMEM PISOU PELA PRIMEIRA VEZ A LUA, E NÓS DEMOS TAMBÉM UM PASSO GIGANTESCO.

.









Para mim foi um dia especial porque acabei de encaminhar quase todos os meus trabalhos da escola para quem deles irá fazer uso. Hoje, foram os bonecos de esferovite "gigantes" e menos "gigantes" que fiz para festinhas do meu filho. Bonecos "quase" do tamanho daquela meia dúzia de pirralhos que por aí "buzeiravam" em dia de festa de anos. Bonecos que, depois, levava para a escola onde se adaptavam aos temas e actividades propostas, como foi o caso do cenário de um dos trabalhos mais bonitos que realizei com os meus alunos. Um pequeno “musical” subordinado ao tema "Ser e estar na Natureza e no Mundo".
.
Decidi que, a partir do dia 20 de Julho de 2009, eu e o meu filho nos íamos emancipar __ a mãe galinha de um filho já galo, que ela insistia em ver pinto. Fiquei em sentinela, quando me disse "Mãe, não te esqueças de que já passei a barreira dos 18 e até dos 21...". Eu acho que ele tem toda a razão...
.
Por isso, esta minha decisão tornou o meu dia tão especial. Graças a alguém que me desafiou, irei lembrar-me para sempre desta data...A propósito, tenho, lá em cima, um cartaz com a fotografia do momento em que o Homem ia pôr o pé na Lua. Este, foi um ponto de viragem na História da Humanidade. Mas, para mim, hoje, também foi um passo gigantesco __ desprender amarras do filhote e de um passado que foi feliz mas que, agora, é preciso deixar para trás. E, voltar a viver, da mesma forma empenhada, alegre e criativa, outras tarefas a realizar. Ainda que seja a de arranjar tamarindo...
.
.

VERDE... JOVEM ESPERANÇA...

.




Serão os jovens a dar-nos luz verde?


Verde cor de esperança,

dos relvados, dos espaços verdes, das árvores, dos arbustos...
.
.
.
Alindam os jardins das casas, dos condomínios.
Mas, e, os espaços públicos?!...
Quem cuida deles?!...
Ora vejam. Já não era sem tempo...














Nunca tive partido. Não tenho e penso que nunca terei. Mas, se na escala de 1 a 5, o Partido Socialista, estivesse no 3, provavelmente, poderia ir ao encontro daquilo que penso. Mas, como os partidos balançam e discutem coisas que não me interessam, fico na mesma. Que é como quem diz, sem inclinação partidária.

Se as eleições constituírem uma forma de melhorar as condições das populações, que venham mais!...
Ouvido de passagem: _” Ele é buracos por todo o lado, até às eleições. Depois, acaba.” Esperemos que não. Para onde iriam os jardineiros e que fazer com tanto buraco?!...



.

A QUEM ME INSPIROU - OS "ARRANJADORES" DE ESTRADAS





Uopps!... Dá para entender o sonho de menino de ser “arranjador” de estradas... A potência das máquinas; o barulho metálico e os estalidos do bater de chapa; o fumegar do chão; o cheiro a alcatrão; o negro tição; os gritos altos a sobrepor ao chiado das máquinas... O negro no que a faixa lisa e luzidia se vai transformando. Ou seja, o tapete que dá nova vida à estrada.



A marcação das listas brancas, sobre o asfalto negro...


É a sinalética que assinala,
que orienta, que nos faz parar, andar, olhar...
.
.
Tudo isto, para seguirmos o nosso caminho com mais segurança, com mais paz, sem os solavancos nem os pinotes, de antes. Isto, apesar dos incómodos causados pelos “arranjadores” de estradas, a ponto de nos poderem fazer mudar de rota...

Tal como todos estes “arranjadores” de estradas, que podem ser bem incómodos, só desejo que tenhamos dentro de nós “arranjadores” suficientemente bons para nos podermos orientar, mesmo, quando sozinhos...


.

domingo, 19 de julho de 2009

HINO À PAZ

.

.
.
.
Domingo. Aí vem mais um. Eles passam. Agora um... Depois outro... fazem sentir o barulho dos seus monomotores. São pequenos aviões de treino do Aeródromo...

Passam por cima de telhados. Sobem e descem nos céus. Quebram o silêncio do dia santo que é Domingo. Abafam o chilrear dos pássaros, o toque das horas do sino do campanário da Igreja...

Mas, passam sem nenhum sobressalto. Ao passarem por aqui e por ali, até dão, um tom de vida, no dia tranquilo e pacato que é Domingo. Voo p'ra cá... e, p'ra lá...

É TÃO BOM, QUANDO ouvimos o ruído dos aviões sobre as nossas casas e não nos preocupamos, porque sabemos que estamos no corredor aéreo de um aeródromo... Onde aterram avionetas e pequenos aviões, cuja “carga” são os passageiros e as suas maletas...

É TÃO BOM, QUANDO essa carga não são bombas... Quando os aviões que passam, não nos obrigam a agacharmo-nos ou a escondermo-nos em caves e escombros...

É TÃO BOM, QUANDO não nos fazem gritar: __”Vem aí mais um bombardeiro!..” Quando, os verdadeiros incomodados, são os pássaros que se sentem ameaçados pelas asas daqueles pássaros grandes que com eles competem pelos céus...

Sim, podem continuar os vossos treinos. Mas, cuidado com as antenas das casas!...
.
.
.

POR MOMENTOS

UMA ROSA PARA TI...


Algumas razões para insistir em escrever o meu “blog”, apesar de __”Olha os perigos da NET!...”; apesar de __”Não se saber quem vai ler, com que intenção!...”; apesar de __” ...já estar a ser uma mania, uma doença!...”...

POR MOMENTOS, o gosto de exercitar e partilhar uma coisa que me dá um enorme prazer __ escrever e pôr à prova a minha imaginação...

POR MOMENTOS, partilhar uma outra paixão, a fotografia. Partilhar ideias; sentimentos; experiências; aquilo de que gosto ou me revolta; quem é exemplo de amigo, de carinho, de alegria, de tristeza, de hombridade.

POR MOMENTOS, sonhar com um campo de flores num dia bonito de Sol...

POR MOMENTOS, ser herói e palhaço, independentemente de correr o risco de o ser...

POR MOMENTOS, sonhar com ser capaz de fixar o momento, a lembrança, o grito, a gargalhada, o sorriso, o prazer... O simples prazer de ser...

POR MOMENTOS, partilhar a descoberta do pensamento e das coisas...

POR MOMENTOS, sonhar em fazer cada dia diferente para que, apesar dos outros “realizares” e das obrigações, seja mais uma forma de me superar e fazer valer cada dia, pela lembrança da partilha...

POR MOMENTOS, sonhar o encontro imprevisto ou previsível com pessoas, situações, causas ou coisas... Tantas e tantas que podemos encontrar. Bastando, para isso, estar atentos...

POR MOMENTOS, partilhar as experiências de uma doente bipolar que se assume como tal e pretende dar a conhecer uma doença, ainda, hoje, de certa forma, estigmatizada...
.
.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

O "MALI" QUE O MEU FILHO ME PEDIU, BASEADO NUM DALÍ..

.




 

"MEMORY" ou "A PASSAGEM DO TEMPO"




" PERSISTÊNCIA DA DESINTEGRAÇÃO DA MEMÓRIA..."
de DALÍ
.
.
.
.

VIVA O NOVO DIA...

.
.
.
EM ESPECIAL A QUEM DISSE:
.
"VAI BEBER O TEU LEITINHO"
.


Só falta a música em surdina... Mas, posso mandar o título
"THIS MAGIC MOMENT"
.
""Este momento mágico", que tem sido beber o meu leitinho,
com o Sol a acariciar-me o braço direito,
enquanto ouço também o teclado do computador.
.
This Magic Moment".
.
Vou continuá-lo com duas fatias bimbo e um copo de leite...
.
Acreditem que vale a pena tentar estes momentos.
.
.
.
.

A TI MEU FILHO...

Frutos da batateira plantada pelo meu filho...



O DIREITO DE SER FELIZ...



.

UMA NOSSA GUIA

.



.
Alguém que credita em sonhos,
que nos faz sonhar e nos ajuda a realizar o que sonhamos.
.
Dando-nos luz verde
com a sua sensibilidade, disponibilidade e talento.
.
.
.
Mas, sobretudo, pelo seu exemplo de coração grande e, de luz, na sabedoria de saber viver com o que, realmente, é importante nesta vida.
.
Vida em que nós, na verdade, nada possuímos para além do que somos sem capas e, se possível com um sorriso franco.
.
Vida a que, ela, nos abre portas, através de um pincel, uma caneta ou de uma máquina fotográfica.
.
.
AFINAL, A VIDA É TÃO SIMPLES,
TÃO BONITA
E EXIGE TÃO POUCO DE MATERIAL SUPÉRFLUO...
.
.
.